Essa pose de menina-meiga-santinha é só disfarce.
No fundo eu escondo o veneno alecrim-doce de uma mulher.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

me sinto só....

Ser mãe de 3 está me deixando muito exausta. "De todo o caos que eu esperei pra esse primeiro momento da maternidade, não tinha incluído na lista o quanto eu poderia me sentir só". Essas são palavras da carol do blog http://carolesuasbabybobeiras.blogspot.com/, quando li o post dela hoje, me identifiquei de tal maneira que estou aqui, quase que plageando os sentimentos e acontecimentos alheios. Me sinto só...Me dei conta disso hoje ao ler o blog da carol.


 "'Parece que sou a única mãe do mundo, a única ínsone-amamentadora-acalentadora-trocadora de fraldas. E quanto mais eu me vejo assim, mais meu filho concorda: só se acalma no meu colo, só dorme com o meu cheiro, só quer o meu peito, só gosta do banho que eu dou. Sinto que estou viva só pra que outro alguém esteja. Que não tenho mais o direito de não querer. De não estar. De não ser. E fico achando que todo mundo tem essa carta na manga, essa que te permite desistir, só por um tempinho. Dormir uma noite toda, tomar um chope, usar roupas e lingeries de gente normal. Todo mundo pode, menos eu. Aliás, eu não sou eu, sou a mãe do Lucas. (no meu caso do lucas - 15a, amanda - 10a e pedro - 45 dias) E só."


É horrível pensar que dá uma vontade de sair correndo. Mas dá. Queria pausar o relógio, dormir oito horas e sair um pouco desse estado de constante alerta e preocupação. 
As vezes queria fazer o tempo voltar, e recomeçar.

Com o nascimento do Pedro, hoje com 45 dias, eu quase não saio de casa e quando saio o que era para ser prazeroso se torna estressante, cansativo e desanimador. É um tal de carregar tralhas, carrinho, sling, bb conforto etc... e tem mais, toda vez que para o carro ele esgoela... fico apavorada.

Agora está resfriado, bom na verdade os 3 filhos estão. É um tal de: remédio para cá, chororô para lá o bb só quer colo. Na noite passada fez frio de 5 graus, quase não dormiu com o nariz trancado, me deu dó de ver. Tentei tudo (muito peito, chupeta, mudança de posição, cantoria...) Quando ele relaxou e dormiu eu, na penumbra do quarto, chorei. Fiquei aliviada, triste, sozinha, feliz, confusa. Ele tava tão lindinho dormindo , eu esperei tanto pelo momento que ele dormisse, eu o amo tanto tanto, mas, ao mesmo tempo, só queria largá-lo ali com os outros e sumir..

Deixei as lágrimas virem enquanto segurava o bebê, tão quietinho embolado no cobertor. Quando me acalmei,  dei beijos, dei peito, me dei – como sempre e como só eu sei e posso e quero fazer. Coloquei ao lado na minha cama e, em vez de dormir, fiquei ali velando o soninho dele.

De manhã, quando o marido acordou, me olhou como se eu fosse uma “super mãe”. E eu fiquei com raiva. Estou exausta, maltratada, cheirando a leite, vivendo em ciclos de duas ou três horas. Isso não é super nada.

Maternidade não é apenas entrega. É abnegação. É esforço. É amor maior.

Mesmo sabendo que essa tristezinha vai passar, que esses sentimentos conflitantes são normais, não deixo de me sentir culpada por tudo isso. 

Mas passa, eu sei que passa... sempre passa.




Um grande abraço a todas que se identificam com esse post.... um especial para a carol.

5 comentários:

Aprendendo com Davi disse...

oh flor, já chorei por várias vezes q me vi e sozinha com meu filho, qdo ele chorava sem motivos, nos dias de febre...mas o que acalenta é que nos momentos que estou mais triste, ganho aquele sorriso lindo.
Ser mãe não é fácil, não! É um entrega constante, mas Deus só dá essa tarefa pra pessoas fortes..

Bjs e fique com Deus, precisando desabafar, estamos aki

An@ Paul@... Mamãe do Pietro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
An@ Paul@... Mamãe do Pietro disse...

ÔÔÔÔ amiga.
Quase chorei junto, pois me identifiquei sim, pois meu baby já está com 9m mas ainda assim me sinto cansada, estressada, e ainda trabalhando fora, me sinto esgotada... Só agradeço a Deus pois meu marido é quem toma as rédias de mta coisa da casa. Ele chega em casa e varre, tira pó, lava louça, e outras coisa. Um amor sabe, pq se depende-se de mim, que trabalho o dia todo fora, não sei o que seria da casa, rs.

Nos meus 6m de licença maternidade eu me peguei chorando de cansaço por muuuuitas vezes. Era tudo isso que vc disse e mais um pouco. Era um misto louco de emoções que ao mesmo tempo que eu olhava para meu bb apaixonada, eu tbm queria poder dormir no mínimo umas 6 horas direto.

Eu não sei como vc consegue se virar com TRÊS se eu com 1 apenas, já me sinto tão exausta. Nossa menina, vc é sim uma super mãe!
Queria eu ter coragem de um dia ter 3 filhos, rs. Mas pra els a gente tira forças de onde para os outros não existe né!!!

Flor, isso passa sim, pois na verdade são muuuuito sentimentos juntos, tudo se acumula dentro da nossa mente. E é bem como vc disse, que a gente nem sai pq qdo sai é aquela guerra, é um monte de tralhas p levar e ainda sem contar que o bb cai na choradeira em lugares que a gente menos espera. Na época de RN eu tinha q levar um guarda-roupas junto, pra mim e pro bebê, pois ele vomitava sempre após as mamadas, aí pensa no desânimo só de pensar em sair de casa, e ao mesmo tempo eu queria mto sair pra poder distrair a cabeça que já estava abitolada, mas quase não conseguia.

Amiga, desabafe sim, é a melhor maneira de limparmos um pouco nossos corações e mente.

Em vista de nós mães a gente ve o qto é fácil ser pai né?!

Super bjo

Mamãe du Dudu disse...

OI Elaine.... Antes de tudo, obrigada pela visita no Blog.
Poderia dar uma de mãe experiente te dando conselhos de quem já passou por isso, e sentiu exatamente o que está sentindo, mas vi que vc é beeeem mais expert no assunto que eu!
Paciencia, é tudo o que posso te dizer, num piscar de olhos isso passa, e nem vai mais lembrar que passou por isso.
Beijos,
Fer
http://coisasdududu.blogspot.com

Tuka Siqueira disse...

Minha mais nova tá com 1a e 8 meses e eu ainda me sinto tão só...
Mas as crianças crescem e isso passa, só que enquanto não passa, sentimo-nos como a última das criaturas.
Mas não é assim, somos as primeiras, as mais importantes. Deixamos de ser nós mesmas por um tempo para dar a vida e nutri-la para que se fortaleça. Quando tudo isso passar, vc se sentirá forte e poderosa por ter enfrentado essa barra.
Procure manter a calma, escreva seus sentimentos no blog (foi o que me manteve viva) e peça ajuda sempre que precisar.
Assim que o bb estiver com seus 3 meses, o inverno já vai estar no fim e essa fase mais crítica irá passar.
Conte comigo pro que precisar, estou longe, não posso cuidar do bb pra vc descansar, mas posso conversar e tentar te ajudar de outras formas.
Fique bem.

Beijos

Quanto tempo falta para o natal?

Daisypath Christmas tickers